Arqueorede

Infiltrado: a história real de um agente do FBI à caça de obras de arte roubadas

#arqueoredeindica

Infiltrado: a história real de um agente do FBI à caça de obras de arte roubadas é um livro que conta a trajetória de Robert Wittmann, agente especial do FBI e investigador sênior da Equipe de Crimes contra a Arte do Instituto, cuja atribuição profissional foi exercida por mais de 20 anos, ajudando na recuperação de mais de 225 milhões de dólares em obras de arte e antiguidades roubadas.

Atualmente aposentado, Robert Wittman compartilhou sua história profissional com o jornalista John Shiffman, que ajudou na construção da narrativa do livro. O leitor irá se deparar com diversos casos bem sucedidos de recuperação de obras de arte milionárias que eram negociadas no mercado clandestino, assim como nas estratégias utilizadas para se infiltrar nas organizações criminosas ou mesmo na prática de negociação com os traficantes de obra de arte.

Vale destacar que por mais que os principais casos solucionados estejam mais relacionados as obras de arte, há relatos de atuação quanto famosos manuscritos e artefatos de antigas civilizações. Outro ponto de destaque das memórias do ex agente do FBI é o seu relato, a partir do seu ponto de vista e experiência, da forma como outras nações lidam com o mercado ilegal de obras de arte e antiguidades (onde se inserem roubou significativos de artefatos arqueológicos). É comentado pelo autor os elevados investimentos feitos pelos gregos e italianos no combate aos crimes contra o patrimônio cultural.

Para o autor, “Os crimes contra a arte e as antiguidades são tolerados, em parte, por serem vistos como transgressões sem vítimas.”. Ao longo do texto, o leitor irá se deparar com outros posicionamentos e até reflexões críticas sobre o mundo das artes, reflexões um tanto quanto exageradas, mas é o seu ponto de vista.

O livro, com 328 páginas, é dividido em 04 partes (com 25 capítulos) e ainda conta com uma nota do autor e agradecimentos super interessantes de serem consultados, pois possuem imagens dos artefatos e obras recuperadas. Ah, o autor compartilha um caso que ele solucionou no Brasil, mas aí vamos deixar você conhecer um pouco mais dessa história. Vale a pena!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *